4 de nov de 2009

SISTEMA DE TRANSPORTE BRASILEIRO



SISTEMA DE TRANSPORTE BRASILEIRO

As facilidades de comunicação, tecnológicas e de transporte, impulsionaram a globalização. Hoje é possível ter informações do mercado mundial com a mesma facilidade do que do comércio doméstico, possibilitando um conhecimento profundo de um mercado em potencial, que antes era difícil atender.

O Brasil, mesmo estando entre os 20 maiores exportadores e tendo apresentado recordes de exportação possui uma participação de 1% do fluxo mundial.

As dificuldades encontradas para o maior crescimento estão ligadas diretamente a entraves internos, que há muitos governos se repetem sem solução, entre elas estão a burocracia excessiva, a falta de tecnologia, a carência de educação e principalmente a infra-estrutura inadequada e insuficiente.


A falta de infra-estrutura para quem trabalha diariamente com o comércio exterior é o maior problema, principalmente no que se refere à infra-estrutura de transportes. Faltam linhas aéreas, contêineres, há excessivo gasto no deslocamento da produção, há perdas ocorridas por avarias no transporte, além de existir a distorção da matriz de transportes, havendo uma sobrecarga do modal rodoviário.


A área de transporte brasileiro acarreta grandes limitações para o crescimento e expansão da economia brasileira. Essa deterioração está fundamentada nos investimentos insuficientes em infra-estrutura, pelo menos nas duas últimas décadas. Hoje, são necessárias providências imediatas, pois com o bom desempenho do mercado de cargas pesadas que país vem tendo, é notória a necessidade urgente de se investir no transporte aéreo, nas rodovias, ferrovias e hidrovias.

Há vários anos o transporte de cargas brasileiro vem apresentando sintomas que apontam para graves problemas de deterioração, decorrentes da falta de investimentos, pelo menos nas duas últimas décadas. Os problemas estruturais comprometem a eficiência operacional, tornando-se um entrave ao desenvolvimento econômico e social do país.

Com os problemas de transportes existentes, o Brasil acaba desperdiçando bilhões de reais, devido aos acidentes, aos roubos de carga, há ineficiências operacionais e energéticas. Como pilares do caos, no setor de transporte, estão as enormes deficiências de regulação, as políticas governamentais de investimento e, também, a distorção da matriz de transporte, acarretando em significativa perda econômica e de competitividade e conseqüente reflexo no custo Brasil.

O uso inadequado dos modais gerou uma enorme dependência do modal rodoviário, que acaba suprindo lacunas dos demais modais, porém apresenta um frota ultrapassada e as rodovias em condições precárias. A malha ferroviária existente, em boa parte construída no início do século passado, sofre resquícios de falhas no processo da recente privatização que a impede de impulsos maiores. A participação dos modais hidroviário e aéreo é praticamente inexistente.


A falta de um planejamento e de investimentos do setor de transporte nacional, implica numa incapacidade de acompanhar a demanda nacional podendo gerar um colapso deste sistema. Alguns fatores deste risco já podem ser percebidos como uma frota de caminhões e locomotivas antigas tendo uma idade média, respectivamente, de 19 e 25 anos, a grande maioria das rodovias em condições péssima, pouca disponibilidade de infra-estrutura ferroviária e o sistema aéreo e hidroviário tendo baixa participação.



Uma das principais causas da ineficiência da matriz de transportes de carga brasileira está baseada no uso inadequado dos modais. Existe uma sobrecarga no transporte rodoviário, figura abaixo, em função dos baixos preços de frete, o que acaba servindo como uma barreira ao uso dos demais modais.

Fonte: DNIT.


É importante ressaltar que os recursos para estes investimentos já são gerados através da CIDE (Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico), porém é preciso que haja uma adequação dos investimentos para a melhoria e modernização da infra-estrutura de transportes, pois os investimentos nesta área estão muito baixos.




Transportes do Brasil

Os sistema de transportes brasileiro define-se basicamente por uma extensa matriz rodoviária, sendo também servido por um sistema limitado de transporte fluvial (apesar do numeroso sistema de bacias hidrográficas presentes no país), ferroviário e aéreo. O intuito de criar uma rede de transportes ligando todo o país nasceu com as democracias desenvolvimentistas, em especial as de Getúlio Vargas e Juscelino Kubitscheck. Àquela época, o símbolo da modernidade e do avanço em termos de transporte era o automóvel. Isso provocou uma especial atenção dos citados governantes na construção de estradas. Desde então, o Brasil tem sua malha viária baseada no transporte rodoviário.


Existem cerca de 2.498 aeroportos no Brasil, incluindo as áreas de desembarque. O país tem o segundo maior número de aeroportos em todo o mundo, atrás apenas dos Estados Unidos. O Aeroporto Internacional de São Paulo, localizado nas proximidades de São Paulo, é o maior e mais movimentado aeroporto do país, grande parte dessa movimentação deve-se ao tráfego comercial e popular do país e ao fato de que o aeroporto liga São Paulo a praticamente todas as grandes cidades de todo o mundo (Hub). O Brasil tem 34 aeroportos internacionais e 2464 aeroportos regionais.


Possuindo cerca de 1.355.000 quilômetros de rodovias, as estradas são as principais transportadoras de carga e de passageiros no tráfego brasileiro. Desde o ínicio da república os governos sempre priorizaram o transporte rodoviário em detrimento ao transporte ferroviário e fluvial. O Presidente Juscelino kubitscheck (1956-1960), que concebeu e construiu a capital Brasília, foi outro incentivador de rodovias. Kubitscheck foi responsável pela instalação de grandes fabricantes de automóveis no país (Volkswagen, Ford e GM chegaram ao Brasil durante seu governo) e um dos pontos utilizados para atraí-los era, evidentemente, o apoio à construção de rodovias. Hoje, o país tem instalado em seu território outros grandes fabricantes de automóveis como Fiat, Renault, Pegeot, Citroen, Mercedes-Benz etc.

Atualmente, porém, o governo brasileiro, diferentemente do passado, procura incentivar outros meios de transporte, principalmente o ferroviário, um exemplo desse incentivo é o projeto do Trem de Alta Velocidade Rio-SP, um trem-bala que vai ligar as duas principias metrópoles do país. O Brasil é o 7º mais importante país da indústria automobilística. Há 37 grandes portos no Brasil, dentre os quais o maior é o Porto de Santos.



Qual a solução para os sistemas de transporte do Brasil?
Você acha que o Brasil deva investir na malha rodoviária ou na malha ferroviária? (lembre dos R$ 16 bilhões do projeto do Trem Bala Rio-São Paulo). Justifique.
Você defende a aplicação dos recursos que serão destinados ao trem-bala em outros projetos para o transporte de massa nas regiões metropolitanas? Justifique.
Qual seria o modo de transporte mais eficiente para o transporte de cargas no Brasil? Justifique.
Você sabia que dos 1.355.000 quilômetros de rodovias no Brasil apenas 30% são pavimentadas? Que destas rodovias pavimentadas, a maioria encontra-se em situação crítica? O que acha disto?


REFERÊNCIAS
ANTT – Agência Nacional de Transportes Terrestres. Disponível em http://www.antt.gov.br/.
CNT – Centro Nacional do Transporte. Disponível em http://www.cnt.org.br/.
DNIT- Departamento Nacional de Infra-estrutura de Transportes.
ERHART, Sabrina; PALMEIRA, Eduardo Mauch. (?).Faculdade Atlântico Sul de Pelotas.
Ministério dos Transportes. Disponível em http://www.transportes.gov.br/.

25 comentários:

Li Martins disse...

A solução para os sistemas de transporte do Brasil é a melhoria nas estradas (qualidade das vias) e o barateamento das tarifas aéreas que são muito caras aqui em nosso país. Se compararmos países da Europa, por exemplo, viajar de um lugar ao outro fica muito mais em conta (sendo de trem ou até de avião mesmo).

Você acha que o Brasil deva investir na malha rodoviária ou na malha ferroviária? Eu acho que se os investimentos forem em uma malha rodoviária de alta tecnologia, como o trem bala, seria uma ótima opção para trajetos que costumam ter muito trânsito. Além do mais, o Brasil é um país de grande extensão e precisa mais do que nunca de um meio de transporte que nos carregue rapidamente por grandes distâncias. Mas não podemos esquecer da malha rodoviária. Esta também é muito utilizada pelos brasileiros e deve sim ser restaurada frequentemente fornecendo conforto e tranquilidade aos viajantes.

O meio de transporte mais eficaz para transporte de cargas no Brasil seria qualquer um que não interferisse o fluxo de transporte doméstico. É muito ruim sair de viagem no seu carro e pegar uma estrada, que não é duplicada, cheia de caminhões que andam a 60km/h.
A viagem atrasa, o turista fica estressado e mais cansado do que deveria.

Você sabia que dos 1.355.000 quilômetros de rodovias apenas 30% são pavimentadas? Que destas rodovias pavimentadas, a maioria encontra-se em situação crítica? O que acha disto? Eu acho isso um absurdo, pois pagamos caro em um carro (uma grande parcela deste valor é imposto) e quando vamos colocar o carro na estrada, elas estão esburacadas, mal pavimentadas ou as vezes são só um caminho de terra e acabam estragando nossos pneus, rodas e lataria sem contar que a segurança também diminui devido à falta de sinalização e de placas. E quando pegamos um ônibus para fazer uma viagem e ele não pára de pular de tanto buraco que tem na estrada e você não consegue nem dormir? Você passa um dia inteiro com dor no corpo sendo que deveria estar curtindo seu tempo de lazer. A viagem passa a ser algo desagradável, quando deveria ser o contrário disso. Deveria ser prazerosa!

Só sei que não tem nada melhor que pegar uma estrada novinha, com vias duplicada, onde os caminhões ficam no lado direito e você só vai ultrapassando e mantendo uma velocidade constante, chegando em seu destino no tempo previsto, sem furar pneu, sem acidentes e sem dor de cabeça!


Aline Martins (Uberlândia)

Sheron disse...

O sistema de transportes brasileiro como um todo, apresenta diversas dificuldades quanto à sua estrutura, que já vem de longa data, se acumulando em conseqüências cada vez mais desastrosas para o nosso país. O Brasil, conta hoje com um sistema de transportes ultrapassado, aliado a uma malha viária sem estrutura, com uma frota envelhecida, operada por muitas empresas sem nenhuma estrutura operacional para desenvolver esta atividade.

Não é preciso muito esforço para se perceber que privilegiar um único sistema de transporte em um território tão vasto quanto o do Brasil é irracional e traz desperdícios, como, por exemplo, a subutilização dos rios navegáveis, ou mesmo o abandono do transporte ferroviário — que de 32 mil quilômetros de extensão, em 1929, caiu para 29 mil em 1978.

O Brasil investe pouco na infra-estrutura viária, praticamente abandonou as nossas ferrovias, não incentiva e não investe na navegação fluvial e tampouco consegue manter as nossas rodovias em condições mínimas de utilização e de segurança.

Além da falta de investimentos, que se confunde com a falta de vontade política, o grande problema brasileiro é sem dúvida alguma, cultural. Temos uma cultura antiquada, que não acompanhou a evolução e o crescimento mundial, que nos faz acreditar que somos o país do futuro, que temos riquezas que vão nos dar um futuro tranqüilo. Precisamos crescer sim, mas com planejamento, com investimentos nas áreas primordiais como na infra-estrutura de transportes, que é o elo mais importante da cadeia produtiva de um país.

Link: http://jdauer.blogspot.com/2009/06/sistema-de-transportes-reflexos-da.html

Atualmente, o governo brasileiro, diferentemente do passado, procura incentivar outros meios de transporte, principalmente o ferroviário, um exemplo desse incentivo é o projeto do Trem de Alta Velocidade Rio-São Paulo, um trem-bala que vai ligar as duas principias metrópoles do país. O Brasil é o 7º mais importante país da indústria automobilística. Há 37 grandes portos no Brasil, dentre os quais o maior é o Porto de Santos. O projeto marcaria a entrada do Brasil no seleto grupo de países que possuem esse sofisticado tipo de transporte. O trem-bala estará pronto integralmente para a Copa do Mundo de 2014, que será sediada no país. Mas, atrasos na preparação do edital de licitação apresentados em outubro de 2009 comprometeram o prazo de início das obras e dificilmente o projeto estará pronto em tempo de contemplar a Copa do Mundo.

Karina disse...

Olha, o texto é muito extenso, abrage praticamente todo o tema de transportes do Brasil, colocando, inclusive opiniões e críticas, enfim, pode-se dizer que o texto está amarrado em começo, meio e fim, com linha de pensamento bem abrangente, encerrando em si mesma a condução de uma modulação de novas idéias.
Não é bem uma crítica, mas as perguntas feitas estão um tanto quanto "técnicas" demais, demandando conhecimento em escalonamento, evasão de carga, custos de produção em geral, inclusive dos "modais", talvez um engenheiro, um cientista político, um economista, saiba melhor essa questão e possa dar uma resposta "equalizada" ao texto e às perguntas feitas...
Mas, no mais, como o próprio Prof. Lélio nos informou outro dia, uma cidade investiu x milhões para um evento turístico e recebeu 3 vezes x milhões em um final de semana.
Nós apenas fizemos uma matéria geral sobre transportes e, com certeza, os investimentos em trens elétricos, magnéticos, etc, é uma grande solução para muitos assuntos, inclusive meio ambiente, necessidade de eficiência e eficácia da demanda, velocidade, entre outros.
"Justifique" é um pouco difícil, mas o Brasil deve investir na malha rodoviária, na malha ferroviária, na aérea, na hídrica, na maionese, na batatinha, com certeza...
Não sei das prioridades de Governo e nem por que ainda não solucionaram essa questão dos 30% de pavimento das construções existentes, nem do barateamento do transporte aéreo, nem do incremento ferroviário, na melhoria do material de pavimentação, planejamentos mais eficientes, realmente não sei, pois imagino que seja de interesse do próprio Governo fazer com que produção e locomoção andem bem e juntas.
Acredito que a Copa e as Olimpíadas darão um incremento nessa "falta de estímulo", e, se der tempo, antes de acabar o prazo desse tema do blog, vou tentar pesquisar sobre o assunto e responder com justificativas palpáveis às perguntas feitas e que devem ser defendidas como "opinião".

Kezia disse...

A malha rodoviária do Brasil está em situação precária, e o sistema rodoviário é o mais usado pela população brasileira. O projeto do trem bala é interessante somente pela praticidade que gerará ligando as duas maiores metrópoles do país, e também para o Turismo por facilitar a transição entre as duas cidades, mas seria mais viável se os 16 milhões que serão investidos na construção do trem bala fosse investido na reestruturação da malha rodoviária do país, que está precisando urgente de reforma, por ser muito utilizada pelos brasileiros, mais que qualquer meio de transporte do país. O governo precisa ter mais sensatez, e priorizar o investimento do dinheiro público no que o país esta precisando com urgência, para depois investir em projetos inovadores como o do trem bala.

Tereza disse...

Eu não defendo, simplesmente concordo que algumas estradas, rodovias precisa ser recuperadas o acesso é péssimo só quem viaja muito para saber das dificuldades encontrada, investir no trem bala, desde que realmente ela saia de projeto para realidade.
Sobre o transporte de carga que seria melhor para o Brasil eu penso que é o aéreo, tem menos risco de roubo. O transporte no Brasil estou por fora desse assunto, deixo para um profissional da área, pelo que eu conheço, precisa de melhorias isso em tudo, não é só fazer e deixar lá, tem que ter monitoramento, continuação por que se não sempre terá que começar do zero e a coisa não anda para frente, assim são nossas estradas e nosso Brasil.

Karen Abatti disse...

A solução para o sistema de transportes no Brasil é o investimento em outros meios que não sejam a malha rodoviária, como o hidroviário e o ferroviário. Atualmente a malha rodoviária brasileira está sobrecarregada o que dificulta as viagens e prejudica as estradas, além de que trás um alto custo ao estado.

O governo brasileiro deveria investir nas ferrovias,que além de ser um trasnporte coletivo é um meio de locomoção menos agressivo ao meio ambiente.

O transporte hidroviário deveria ser melhor aproveitado no Brasil, que é um país muito rico em rios, este tipo de trasnporte deveria ser aproveitado no transporte de cargas, o que melhoraria a condição das rodovias.

Na minha opinião a condição crítica
das rodovias se deve a sobrecarga das mesmas, o que seria solucionado com a implementação de outros meios de trasnporte. Já a pavimentação delas, isso é tarefa do governo...

Anônimo disse...

Como se fala no texto o investimento hoje é muito baixo pra que a melhoria as estradas sejam totalmente bem qualificada e usada para todo os tipos de transportes. Acredito que o governo deveria ter um olhar mais apurado pra a melhoria das estradas, para que as condições dos transportes sejam totalmente adaptáveis pra aqueles que a usufruem.

Como disse anteriormente o Brasil deve investir nos dois, tanto no ferroviário quanto no rodoviário, pois os dois têm muito que crescer, mais com a ajuda do governo é claro, pois infelizmente sem ele a infra-estrutura não funcionará de forma alguma. Mais enfim os dois
Têm grandes possibilidades de crescerem só basta um empurrãozinho para que de certo, e o empurrãozinho de que estou falando é dos órgãos públicos, pois sem ele não têm como crescer nem o ferroviário e muito menos o rodoviário, quantas vezes vemos estradas esburacadas por todos os lugares que visitamos, isto é uma questão de segurança, já que o ferroviário pode ser melhor então quem sabe o governo possa investir um pouco mais nesta parte.

Larissa Tomaz

Linna disse...

É extremamente necessário maiores investimento no sistema de transportes, proporcionando manutenção as rodovias, restaurando as ferrovias e principalmente investimento na criação de vias navegáveis. Desta maneira adequando melhor a matriz de transportes brasileira, melhorando a qualidade de escoamento da produção e assim, torna-se mais competitivo no mercado mundial.

A malha rodoviária nacional é responsável, atualmente, por quase 70% do transporte dos produtos brasileiros, tanto para consumo interno quanto para exportação.
O grande problema está nas estradas não concessionadas, que se encontram em péssimo estado de conservação. É certo que uma rodovia concessionada é mais econômica em relação às outras, devido ao menor tempo de viagem, preservação dos pneus, menor gasto de combustível, ou seja, o custo do equipamento por quilômetro rodado.

Grande problema com o projeto, vai demorar 7 anos para ficar pronto, ou seja, se começar hoje, só em 2014 (depois da Copa do Brasil, mas antes da Olimpíadas do Rio 2016). Isso nos faz torcer para que alguém acorde o Lula, para nesse período de espera de 7 anos, faça alguma coisa e não deixe que a cada 10 meses morram 200 brasileiros em catástrofes anunciadas.

Acho que o caminho para o transporte eficiente á a utilização de cadeias intermodais, ou seja, que todos os modos de transporte sejam usados integrados racionalmente em uma única cadeia logística, cada um contribuindo com o que tem de mais vantajoso. O Brasil tem um enorme potencial natural para o transporte fluvial e, hoje, isso é muito pouco aproveitado. O transporte fluvial é barato e muito eficiente. O governo deveria investir mais nesse modo de transporte.

jenifervilela disse...

Se existe uma solução para o transporte no Brasil ela esta longe de ser alcançada, tomando por base o transporte coletivo de Uberaba que antes estava nas mãos de uma única empresa e era com o perdão da palavra “uma pouca vergonha”, agora que o transporte coletivo esta nas mãos de duas empresas não mudou em nada, para que esse quadro se resolva é necessário antes de tudo respeito à população.
Acredito que se houvesse investimento na malha ferroviária as coisas poderiam melhorar, pois levaria um numero bem mais elevado de passageiros e de cargas, claro que num primeiro momento o investimento seria muito alto, mas em compensação a manutenção dessa malha ferroviária seria bem menor que nas rodovias que estão sempre em péssimas condições.
Defendo sim a aplicação desse dinheiro no trem bala, porque se não for aplicado nisso vai acabar indo para o bolso dos políticos e não teremos nem trem-bala muito menos melhorias nas regiões metropolitanas.
O melhor modo de transporte de carga eu não sei qual seria, mas poderíamos aproveitar os nossos rios ou o transporte ferroviário já que nosso pais é bastante extenso.

aguinaldo disse...

1 a solução é facilitar o acesso ao transporte aereo para assim tirar um pouco da malha rodoviária, e restaurar e pavimentar o que n tem condições de acesso.
2 - nos dois, nos temos verba para isto, o sitema ferroviária tem que voltar sim mas n com muito força pois pode tirar muito empregos na classe camihoneira, temos que lembrar tb do sistema fluvial que ja acontece no amazonas, temos o nosso são francisco que em alguma area pode se navegar e chegar ao mar.
3 - não, por que o trem bala pode agilizar o trafego entre as duas principais cidades brasileiras e assim gerar mais renda e investimentos, agora tem que mexer na nossa malha rodoviária e o Brasil tem dinheiro para isto sim.
4 - Fluvial e ferroviária, o rodoviário para pequenas distancias.
5 - não sabia que era tanto assim, e mostra mais ainda a falta de carater dos nosso politicos, muito n fazem nada pq so anda de avião com a familia e carro luxuosos e corfortaveis.

Paula Pucci de Assis disse...

Creio eu que o Brasil já tem soluções sim para isso tudo, mas nao consegue resolver porque todas as verbas continuam sendo desviadas para os políticos corruptos,há esperança sim para que tudo volte aos poucos a se restabelecer e o fluxo rodoviário estar em melhor estado, mas com a tecnologia talvez devessemos investir em algo novo e que poderá melhorar a situação do país, como a malha ferroviária, mesmo assim, a rodoviária é a mais usada, deveríamos investir nela primeiro, consertar o estrago de anos pra poder investir em algo novo, porque nao adianta só taparmos os buracos, e sim recontruí-lo e consertá-lo.Todos os projetos são bem-vindos sim, mas e o que já está estragado? teríamos que reconstruir e nao contruir mais coisas novas pra quando ficarem prontos nao termos mais nada ao nosso redor.

Paula Pucci de Assis

Pablo disse...

O tamanho do nosso país e as situações precárias que algumas regiões passam, é inevitável não ter problemas relacionados com o sistema de transporte. As soluções são muitas para que haja melhorias, mas de uma forma geral, pode-se dizer que maiores investimentos em criação de novas estradas, investimentos em segurança e maior distribuição de fluxos de veículos entre os modais de transporte são as principais soluções básicas. Os investimentos devem ser para todas as malhas, não apenas na rodoviária ou na ferroviária, deve-se procurar as necessidades e tentar supri-las, seja em qualquer área, e quando surgirem oportunidades gigantescas em que possa ser investidos, na expectativa de melhorias do sistema, também é interessante investimentos, como no caso do trem-bala, uma nova alternativa em transporte, segura, rápida e com muita capacidade de passageiros. Esse negócio de investimentos é igual aquela discussão que tivemos em aula. Deve investir tanto assim em Copa do Mundo e em Olimpíadas, ou deve olhar a pobreza em algumas regiões, melhorar a educação ou a saúde? Quando se fala que irá investir em alguma coisa, devemos na maioria das vezes aprovar, porque se os tanto de milhões que vão ser investidos em alguma estrutura ou reforma, como é o caso da Copa, das Olimpíadas e do trem bala, esse dinheiro, ou pelo menos grande parte dele, certamente vai ser para o projeto, mas quando não se fala em investimentos ou em projetos, o dinheiro fica parado, e não se investe em nada, correndo o risco de até mesmo dinheiros serem desviados para outros cantos sem favorecer o povo. Investimentos desse porte, além de melhorar o sistema, gera empregos diretos e indiretos, gera renda, incentiva o turismo, enfim, desperta alguma coisa nas pessoas relacionado a crescimento e desenvolvimento
Em relação a transportes de cargas no Brasil, mesmo já sendo muito utilizado, o transporte fluvial e ferroviário são duas boas opções, mas mesmo assim o ideal seria uma boa distribuição, e adequando o tipo de transporte com a qualidade das vias de acesso, sempre preocupando com possíveis riscos que podem prejudicar a malha e ao meio ambiente.
Sobre as rodovias pavimentadas, não sabia que só 30% era pavimentada, mas tinha mais ou menos uma noção, porque sempre que olhava em algum mapa que indicava as situações das estradas, observa que os traçados do qual a legenda indicava “não pavimentado” era em grande quantidade. E certamente essas estradas são em locais onde o fluxo de veículos é menor, longes de grandes centros urbanos, e em regiões menos desenvolvidas. Então, como alguns dos principais problemas do Brasil são com maiores evidências em regiões mais pobres que não têm força econômica, não ia ser diferente o problema das estradas. Um olhar mais abrangente para o nosso Brasil e melhorias em reformas de estradas deve ser feito em locais onde há muito fluxo de veículos que tramitam por necessidade, porém em determinados casos, esse lance de estradas perigosas, deve permanecer como está, faz parte da cultura, seja no meio rural, ou em lugares que dá medo, o turismo rural é bem legal, e está sendo muito procurado, e mais adrenalina faz incentivar o turismo de aventura, eu particularmente gosto de passar por estradas onde há vários obstáculos.

RODRIGO CAMPOS DE CARVALHO ® disse...

Então voltamos a perguntas de ordem políticas!
E como quase tudo que envolve política envolve caixa 2, propinas, licitações de conchavos, a lei primordial do nosso querido Brasil a Lei do Gerson, ou seja, a lei da vantagem!!!
Mas vamos esquecer a política vamos entrar no mundo da fantasia e inventar um conto de fadas, onde tudo é bonito e os homens olham para o bem maior e não só para seus umbigos!
A solução para o transporte do Brasil é investir, recuperar e fazer mais estradas, pois diminuiria a perca de mercadorias, diminuiria o frete, diminuiria as mortes em nossas estradas, que são usadas para o transporte de carga e o mais importante para o transporte de pessoas.
Mudaríamos nossa malha rodoviária construindo auto-estradas para veículos de passeio que ligariam as grandes metrópoles, destinaríamos às estradas já construídas aos veículos de carga mudando também seu asfalto para o asfalto que os países de primeiro mundo usam, fazendo sua manutenção periódica. E lembrando que isso tudo sem cobrar pedágio, pois seria feito com o imposto já existente, IPVA, Seguro Obrigatório....
Construiríamos também trens balas ligando as principais capitais, melhoraríamos nossa malha ferroviária já existente e destinaríamos a transportes de determinadas mercadorias.
Faríamos um estudo e construiríamos novos portos, melhorando os antigos e agilizando o processo, diminuindo a burocracia, informatizando todos os portos e fazendo uma segurança encima dos funcionários que seriam filmados o tempo todo. Por que hoje você manda um contêiner de fora do Brasil para cá e sempre vem faltando mercadoria.
Acho que assim estava solucionado os problemas, tornaríamos um país de primeiro mundo uma POTENCIA MUNDIAL. Agora voltando ao mundo real uma noticia do jornal da manha de Uberaba de hoje 8/11 que tem haver com assunto
“Quase 36 horas após o descarrilamento de um trem da Ferrovia Centro-Atlântica (FCA), entre Araxá e Ibiá, equipes do Corpo de Bombeiros e da empresa ainda não haviam conseguido terminar os trabalhos de transbordo da carga. A locomotiva é composta por 19 vagões, mas apenas três tombaram. Todos eles estavam carregados com álcool. O acidente foi por volta de 11h da manhã de quinta-feira e até o fechamento desta edição ainda não havia se encerrado.”
RODRIGO CAMPOS DE CARVALHO ®

Anônimo disse...

Acredito que a solução para o sistema de transporte no Brasil é necessário que o governo realmente utilize os imposto dos transportes nos transportes, ou seja se ele não deve desviar este dinheiro , quem sabe assim o sistema poderá ser melhorado.
Devido a grande quantidade da malha rodoviária atual, é necessário que se invista na mesma, porém para diminuir o excesso da mesma e ainda diminuir a emissão de poluentes, o investimento na malha ferroviária ira contribuir. Não deve investir mais em um, ou em outro mais sim a junção de ambos para que o sistema funcione corretamente.

Camila Rosa de Melo

BEBEL disse...

Olha, o Brasil precisa de uma solução imediata no sistema de transportes, tanto ferroviário, como rodoviário. Se investissem mais em nossos sistemas ferroviários, além da economia ser maior, aliviava um pouco mais o sistema rodoviário.

Porque, veja bem; só as grandes rodovias são realmentes tratadas com mais cautelas, no caso das que ligam os grandes centros como São Paulo ao Rio de Janeiro que graças a contribuição dada pelos os usuários pagando pedágio para as empresas conservadoras e também exploradores; aí sim podemos tem uma rodovia bem melhor, caso contrário vejam as rodovias no Estado de Minas Gerais,que calamidade, vergonha para o nosso governador.

Quanto se o Brasil deve investir nas malhas rodoviárias, acho que sim, para melhoras as regiões de difícil acesso; agora o invewstimento é fundamental na malha ferroviária, acredito eu que o transpórte além de ficar mais barato poluiria menos ao meio ambiente.

Penso que os nosso governates deveria dar mais atenção em nossas rodovias, porque como fica a situação do transporte particular, que em qualquer feriado vira o maior tulmulto.Se a viagem que seria de lazer e descanso passa a ser de cansasso.

Vamos ver se nossos políticos façam alguma coisa para não tulmutuar as olimpíadas que virá por ai.Vamos aguardar.

Maria Bernadete Azevedo Andrade

Anônimo disse...

A solução para o transporte do Brasil é uma questão profunda, estrutural,cultural,sendo a sua construção um fato um tanto quanto deficiente. Acredito que o País necessita investir nos meios de transportes, a partir de estudos e projetos coerentes, onde a estrutura seria modificada, atendendo assim a malha rodoviária, ferroviaria,aérea,etc, sendo que o transporte ferroviario merece uma atenção especial, sendo o projeto trem de Alta uma otima iniciativa para valorizar o transporte ferroviario.
Bom, diante desse cenário que evoluiu em trancos e barrancos, o transporte brasileiro vai se adequando de acordo com os limites de crescimento do País e espero que o incentivo da Copa não sirva somente para resoluções provisórias.Esse é o risco que corremos.
Andrea Souto

Terezinha de Melo Batista disse...

Os meios de transportes sempre foram utilizados na antiguidade para os deslocamentos, ora no comércio ora no lazer.`
É uma necessidade mundial todo país ter transportes funcionais, baratos e de tecnologia avançada.
O Brasil tem uma das maiores redes viárias do mundo, devido sua extensão territorial, porém também é uma das mais precárias.
O nosso transporte terrestre está totalmemte sucateado, rodovias intransitáveis, alvo de roubo de cargas e com grande indíce de mortes em suas vias.
Alguns e poucos estados brasileiros que têm sistema de pedágio, há uma boa conservação e manutenção, mas, torna-se caro para os motoristas.
O sistema aéreo é pouco usado,por ser caro e não operar em todas cidades brasileiras.
Vejo uma necessidade de investimentos no transporte ferroviário revitalizando sua malha adormecida e abandonada, e construindo novas vias, dando a oportundiade do turista estrangeiro conhecer nossas belezas naturais.
Temos uma das maiores bacias hidrográficas do mundo, com rios e pontecialidades para a navegação fluvial, somos um dos maiores produtores e exportadores de grãos do mundo, e porque não investir neste transporte, fazendo com que os nossos preços sejam mais competitivos?
Falta com certeza é vontade política e incentivos para que haja investimentos nesta aréa, com alta tecnologia.
Terezinha de Melo Batista

Anônimo disse...

Como as rodovias são as principais vias necessitam de cuidado maior, pois a s rodovias apresentam falhas estruturais, como o predomínio de pistas simples em regiões de topografia acidentada e não adianta taparem buracos quando todo o trecho esta precisando de reforma, para melhoria, as rodovias estão sendo privadas crescendo assim o numero de pedágios, e consequentemente encarecendo ainda mais viajar pelo Brasil, entretanto, por outro lado, as condições de segurança, sinalização e estado do piso são realmente melhores, mas também não dá para andar por 5 km e logo ter que dirigir em buraco novamente.

Viviane R. da Silva

Luiz Terra ou Rique Terra disse...

Solução para o sistema de transportes no Brasil é o investimento em outros meios que não sejam o rodoviário, ´´e necessério investir no ferroviário e no hidroviário. Nos dias de hoje o sistema rodoviário brasileiro está sobrecarregadoe o que dificulta as viagens e prejudica as estradas,e além disso trás um alto custo ao estado.O governo brasileiro deveria investir no sistema ferroviario,que além de ser um trasnporte economico e coletivo é um meio de locomoção que não agride ao meio ambiente.
Ao meu ver a condição é drástica
das rodovias, a solução seria a implementação de outros meios de trasnporte IMEDIATAMENTE.

Luiz H. C. Terra

Anônimo disse...

Eu penso que uma das possíveis soluções para o transporte no Brasil, é a melhoria da malha rodoviária do país, com um controle (fiscalização) maior no peso de veículos de grande porte que em sua maioria trafegam acima do peso permitido, e também propor uma ação que faça com que as tarifas aéreas tenham uma redução considerável.
Os problemas estruturais comprometem a eficiência operacional, tornando-se um entrave ao desenvolvimento econômico e social do país, sendo assim o projeto do Trem Bala, tem um alto custo porem seus benefícios também são grandes.
O meio de transporte mais eficaz para transporte de cargas no Brasil, seria qualquer um que não interferisse o fluxo de transporte doméstico, evitando assim o estresse de passar horas na estrada atrás de caminhões pesados e lentos.
Quanto as condições das rodovias em que apenas 30% de 1.355.000 quilômetros são pavimentadas, isso é um problema muito grave, e que vem se arrastando ano após ano, e isso não é culpa do governo atual pois, é impossível consertar um país com uma historia de corrupção e desvios de verbas em apenas dois mandatos.
Mas esses problemas merecem a devida atenção de todos os órgãos responsáveis que muitas das vezes ignoram e a população tem que tomar atitude com as próprias mãos, exemplo disso o: “João Buracão”.

Lucas Neves
6°Periodo

Poliane Kelly disse...

No Brasil o investimento para melhorias das rodovias, ferrovias e muito pouco, o sistema de transporte é essencial para a movimentação da economia de um país a infra-estrutura é um setor crucial e precisa ter investimentos urgentes para que o país possa diminuir seus custos e assim poder competir igualmente com outros países.
Essa situação não é um problema atual, há vários anos o transporte brasileiro vem sofrendo grande deterioração, decorrentes da falta de investimento, são necessárias providências imediatas, pois com o bom desempenho do mercado de cargas pesadas que país vem tendo, é notória a necessidade urgente de se investir no transporte aéreo, nas rodovias, ferrovias e hidrovias.

Fernanda disse...

Concordo com a Karina, eu não conseguiria dar a solução do problema, até mesmo porque não entendo sobre questoes tecncicas que devem ser analisadas,porém, sei dadeficiencia do sistema de transporte brasileiro.

Todos sabemos sobre a importancia deste setor para a economia do país, no qual está concentrado em rodovias, tornando-o menos competitivo em relação a outros paises.

Acredito eu, que seria de extrema importancia maiores investimento neste sistema, proporcionando manutenção as rodovias, restaurando as ferrovias e principalmente investimento na criação de vias navegáveis.

Sendo assim, adequaria melhor o sistema de Transporte Brasileiro com os demais fazendo com que torne-se competitivo no mercado e aperfeiçoaria o escoamento da produção.

Ana Laura disse...

O Brasil precisa de uma solução de longo prazo porém que funcione, pois ele utiliza muitos dos transportes e esse numero de automoveis caminhos e etc vem crescendo muito e ter uma infraestrutura é muito importante. O transporte aereo vem sendo cada vez mais acessível, mais ainda tem condições de melhorar as tarifas e ser cada vez mais utilizado como na Europa e EUA. A constante manutenção das estradas é muito importante, sem os altas taxas de pedágio. O brasil ainda tem muito que desenvolver.

Veronica disse...

Para solucionar o sistema de transportes no Brasil, muitas medidas precisam ser tomadas. Só o fato de apenas 30% das rodovias no país serem pavimentadas já evidenciam a precariedade do sistema. Para o transporte rodoviário, por exemplo, a melhor solução no meu ver seria a duplicação do maior número de estradas possíveis com manutenção constante, pois essas trazem mais conforto e segurança. Quanto ao transporte aéreo é preciso tornar os preços das passagens mais acessíveis para que essa seja de fato uma opção aos viajantes.

Acredito que a malha ferroviária seja uma ótima opção de investimento, pois além de ser um transporte rápido e acessível, é o mais seguro dos transportes terrestres. É uma opção de alto custo para investimento, porém de baixo custo para operacionalização, além de poder transportar pessoas e cargas, facilitando trocas comerciais e crescimento econômico. Sendo esse, portanto, a melhor opção para o transporte mais eficiente de cargas no Brasil.

A partir do que foi citado, acredito que a aplicação do trem-bala deva ser viabilizada, pois vai colaborar para a economia e para o turismo, podendo ser um exemplo para que seja aplicado em outras regiões.

Anônimo disse...

A solução para os sistemas de transporte brasileiro, seria a elaboração de planejamentos eficientes, que realmente utilizassem todos os recursos disponíveis de forma responsável, sem desperdiçar o investimento com obras e reformas que só trazem resultado a curto prazo.
Acho que o Brasil deve investir tanto na malha rodoviária, quanto na ferroviária, porque são as duas vias mais utilizadas para transporte particular e de mercadorias. Apesar do investimento na malha ferroviária ser de alto custo, acho que ele trará maiores resultados, pois em um Trem, a capacidade de carga de mercadorias é maior e de maior lógica, sendo que várias mercadorias vão de uma vez só, não sendo necessário o uso de vários caminhões, que por sua vez acabam com as condições de tráfego das estradas, devido ao seu peso.
Dessa forma, não creio que o investimento do trem-bala seja um desperdício, pois como disse anteriormente a utilização da malha ferroviária seria a mais viável para transporte de cargas.
Acho que a maioria das estradas deveriam ter pedágios, pois pelo menos dessa forma se tem mais segurança e estradas com ótimas condições de viagem, já que o governo não consegue cuidar de todas as estradas.

Evelyn